05 março 2015

Por que meu bebê não engorda? Entenda causas e saiba agir

Matéria escrita por Marina Garcia
Foto:Bolsa de Mulher
Bebês são normalmente associados à fofura: quando estão gordinhos, parecem saudáveis. Por isso, muitas mães se preocupam ao verem seus recém-nascidos perderem peso ao longo dos dias. Nesse momento, muitas dúvidas começam a surgir, como em relação ao leite, à amamentação ou outros problemas que, por ventura, possam estar impedindo o bebê de engordar normalmente.

Será que meu leite é fraco?

Um dos primeiros questionamentos feitos pela mãe que está amamentando e testemunha a perda de peso de seu bebê é se o leite dela não está sendo suficiente para nutrir o filho. De acordo com o ginecologista Dr. Renato de Oliveira, da clínica Criogênesis, de São Paulo, “ter o leite fraco” é um falso mito. “Não existe leite fraco. Se a mulher for saudável, praticamente não há diferenças entre o leite de uma e o de outra. Por questões anatômicas ou hormonais, a produção pode ocorrer em diferentes quantidades, mas a qualidade, de um modo geral, é semelhante”, explica.

Existe leite aguado?

Oliveira esclarece que o primeiro leite não é aguado, como muitas mães pensam, e esta tampouco é a causa de uma eventual perda de peso do bebê.
Segundo o ginecologista, cada tipo de leite é compatível com as fases da vida da criança. “O leite da mãe, no início da vida do filho, é rico em anticorpos e nutrientes essenciais para o fortalecimento do recém-nascido. Esse leite é o chamado colostro. A sensação de que ele está aguado ocorre porque, com o passar do tempo, o leite recebe maior quantidade de gordura, e vai ficando mais espesso”.

É normal o bebê perder peso?

Segundo a ginecologista do Hospital Bandeirantes Dra. Fernanda Cristina Antunes de Araujo é normal que a criança perca até 10% do peso do 
nascimento durante a primeira semana de vida devido ao maior gasto energético fora do ambiente do útero. “Dentro da barriga, o bebê gastava pouca energia. Ele não precisava manter sua temperatura corporal, ele se movimentava menos, todos os nutrientes vinham pelo cordão umbilical. Ao nascer, ele faz muito mais atividades do que estava acostumado. Além disso, o leite, no início, apesar de ser excelente para anticorpos, tem pouca gordura. Até a criança aprender a mamar e até o leite ficar gorduroso e suprir o gasto energético, ela pode ter essa perda de peso, que é normal”, explica a médica.
Oliveira completa: “Quando o bebê nasce, ele perde líquidos próprios da adaptação a esta nova fase da vida. Ele vivia em um ambiente semelhante a uma piscina, que é o líquido amniótico e, de repente, passa a viver em outra dinâmica – a atmosférica”.

A partir de quando meu filho deve passar a engordar?

“Geralmente, o bebê começa a recuperar o peso perdido entre o 10º e 15º dia de vida. O esperado é que ele ganhe, por dia, entre 25 e 30 gramas”, esclarece o ginecologista.

Por que meu bebê não está engordando?

Se a criança já tem mais de uma semana de vida e, ainda assim, está emagrecendo, é hora de investigar as causas da perda de peso no bebê.

Problemas na amamentação

Excluídos os mitos do leite fraco e do leite aguado, o mais provável é que a criança esteja perdendo peso porque a amamentação não está sendo feita da maneira correta.

Como amamentar para que meu filho engorde?

Os médicos dão algumas recomendações:
  •  A mãe deve oferecer o leite em “livre demanda” – ou seja, toda vez que o bebê sentir fome. “Algumas crianças, com o passar das semanas, vão criando seu próprio horário e é comum quererem mamar a cada duas ou três horas, mas é importante não restringir a amamentação caso o filho prefira mamar em um intervalo maior ou menor. Porém, querer mamar de hora em hora não é normal: ele pode estar ingerindo pouco leite, e é bom pedir a opinião de um especialista para identificar o problema”.
     
  • Verificar se está produzindo leite em quantidade suficiente. “Há medicamentos que podem ser prescritos e aumentam a produção”, informa Fernanda.
     
  • Não trocar o bebê de mama toda hora. “É muito mais importante deixar que ele esvazie uma mama antes de oferecer a outra. Se trocar de mama prematuramente, o bebê mamará apenas o primeiro leite, mais baixo em calorias, em vez de obter o equilíbrio natural entre o primeiro e o segundo leites. Como resultado, o bebê não se sentirá tão saciado”, esclarece a médica.
     
  • Tomar as precauções necessárias para evitar fissuras e rachaduras nos mamilos, que podem dificultar o aleitamento.
  • Checar se o bebê está com alguma dificuldade para sugar o leite. De acordo com a Fernanda, caso um problema nesse sentido seja percebido, há fonoaudiólogos especializados em analisar e corrigir a força da criança para sugar, a posição da boca, e a ‘pega’ do bebê no mamilo. Esses profissionais passam também exercícios para a mãe ajudar o filho a mamar. “Pergunte na maternidade, normalmente eles indicam alguma fono”, aconselha.

Outros problemas que podem ocasionar emagrecimento em recém-nascidos

  • Problemas na deglutição do leite. Segundo Fernanda, o bebê pode ter alguma particularidade na hora de engolir. “A formação do palato (céu da boca) muda de uma pessoa para a outra e pode dificultar a amamentação no começo”.
     
  • Embora raras, má formação do intestino ou deficiência metabólica na absorção de nutrientes também podem ser motivos para a dificuldade do bebê em ganhar peso. “O importante é sempre ter um profissional para acompanhar esta criança e, identificando qualquer anormalidade no crescimento, iniciar uma investigação sobre esta causa”, finaliza Oliveira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá seja bem vindo ao Blog obrigado por sua visita deixe o seu comentário e se tiveres alguma dúvida entre em contato com a gente beijos