30 novembro 2014

Adolescentes e idosos: como otimizar o relacionamento entre eles?

Estimular a troca de experiências é uma forma de aproximar as gerações

by Redação em 29 de outubro de 2014 | 9:00
Crédito: Thinkstock
relacionamento entre adolescentes e idosos pode ser bastante proveitoso para ambos os lados. Contudo, este relacionamento é conturbado em algumas famílias. O choque geracional de pessoas com 50, 60 anos de diferença traz algumas barreiras, mas a maioria delas pode ser superada. Na sociedade contemporânea, a intergeracionalidade pode ser linear, pois as duas gerações têm saberes que podem ser desconhecidos pelo outro lado.

Aliar a sabedoria e experiência de vida dos idosos aos conhecimentos da vida moderna dos jovens é a melhor forma de estreitar essa relação. Interagir com outras faixas etárias é extremamente produtivo para os idosos, que passam a se sentir mais vivos e integrantes da sociedade, e construtivo para os adolescentes que podem compreender os limites e as habilidades de cada geração, tornando a experiência uma socialização recíproca.

Compartilhar experiências

Crédito: Thinkstock
Dividir experiências e conhecimentos é uma forma de aproximar jovens e idosos. Crédito: Thinkstock
Eles viveram na Ditadura Militar, presenciaram guerras, assistiram ao programa do Chacrinha e compraram a primeira televisão só para ver a Copa do Mundo. O que não falta aos idosos são histórias para contar e elas podem ser extremamente interessantes e encantadoras para os netos: basta saber cativá-los da maneira certa. Já os jovens podem ensinar os mais velhos a utilizar os recursos do computador e do celular, contar sobre as dificuldades na escola e tudo o que cerca o mundo moderno. Essa troca de experiências é enriquecedora para ambos os lados.
Nesse caso, os jovens precisam deixar de lado a ideia de que os idosos não têm mais nada para aprender, pois a verdade é bem o contrário. Informações e conhecimentos novos podem ser assimilados em qualquer fase da vida e, especialmente na terceira idade, estimulam as funções cognitivas, contribuindo para melhorar a memória e prevenir doenças degenerativas.

Atividades comuns

Crédito: Thinkstock
Jovens e idosos podem ter interesses comuns, basta explorá-los. Crédito: Thinkstock
Além de dividir experiências, jovens e idosos podem compartilhar atividades e interesses. Avós e netos podem se divertir e interagir através de jogos, com benefícios na habilidade cognitiva de ambos. Se o avô gosta de pescar, convidar os netos para uma tarde de pescaria pode ajudar a aproximá-los. Experiências na cozinha também podem aproximar avós e netos. É claro que nem todos os adolescentes estão abertos a esses convites, mas, se eles forem aceitos, vão render boas conversas e ótimas lembranças.

Fonte:Bolsa de Mulher



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá seja bem vindo ao Blog obrigado por sua visita deixe o seu comentário e se tiveres alguma dúvida entre em contato com a gente beijos