10 dezembro 2013

Filho: seu filho ouve bem? Você sabe se seu filho está ouvindo bem?

O-seu-filho-ouve-bem-blog-cantinho-ju-tavares

O seu filho ouve bem?, Você sabe se seu filho está ouvindo bem?

Filho! Olá gente agora quero falar com os pais e fazer-lhes uma perguntinha " O seu filho ouve bem?, Você sabe se seu filho está ouvindo bem?". É bem importante observarmos as queixas nos consultórios médico tem sido mais frequente, os fonoaudiólogos têm tido cada vez mais casos de crianças com problemas de audição.


Leia Também

3 Maneiras de combater o estresse diário!

DESCAMAÇÃO NA CABEÇA DO BEBÊ- CASPA,CROSTA OU CASQUINHA

COMO DAR O PRIMEIRO BANHO NO BEBÊ?

AS EMOÇÕES INFANTIS

Tem muitos casos também de criança com atraso na aquisição da fala. Temos várias causas que podem interferir no desenvolvimento da fala da criança. A deficiência Auditiva (D.A.), ou seja ela em qualquer grau, é decisivamente uma das mais importantes.


Então para os pais que tem bebês em casa com menos de um aninho de vida leia este post atentamente, vamos acompanhar o desenvolvimento da fala no primeiro ano de vida e a interferência da D.A. neste período. Desde de o nascimento, o bebê sobrevive pois há um ser saudável e amadurecido que cuida, nutre atende às suas necessidades.


Este ser é a mãe. A mãe conversa, verbaliza tudo o que faz com o seu filho  na rotina dos primeiros meses de vida: amamentação, troca de fraldas, banho, adormecer,acordar, contato  com outros brinquedos, som da casa, dor e etc...


O bebê por sua vez produz sons, chorar e murmurar de forma distinta quando ele tem fome, tem sono,tem dor,e também quando acorda. Porém, para que esse processo ocorra normalmente, o bebê necessita ouvir a voz da mãe, e dos familiares; sons ambientais, sons musicai... O bebê vai crescendo, cada dia compreende mais e mais do que é dito por sua mãe   e dessa forma, a mãe/ bebê, vão construindo uma linguagem no dia-a-dia.


E quando chega ao seis meses de vida, o bebê percebe   que ouve sua própria voz, Eles tem o prazer em produzir sons e ouvi-los. É o início do uso do feedback acústico-articulatório, que vai marcar o início do balbucio. Balbucio esse que vai se diferenciando, tornando-se mais e mais rico, evoluindo para a emissão de sílabas aquele (dá-dá, pá-pá...), até que, ao redor dos 12 meses, época do primeiro aniversário, a criança já começa a ensaiar as primeiras palavras.


Existem ainda aquelas que começam um pouco mais tarde. Porém, apesar das variações cronológicas individuais possíveis dentro do desenvolvimento normal, na criança com algum tipo de perda auditiva, a evolução da fala e linguagem não vai ocorrer da mesmo forma. A criança torna-se cada dia mais quieta, dorme muito, apresenta ausência ou pobreza do balbucio etc.


Frente a uma criança que apresenta características  parecidas com as mencionadas acima, precisamos começar nos perguntando se essa criança tem condições sensoriais para perceber a linguagem que está exposta e se ela é capaz de ouvir.


E por isso é preciso buscar respostas e perguntas do tipo: O bebê se assusta ou acorda diante de um barulho muito forte?  O bebê "dança" quando ouve sons que gosta? A mãe teve rubéola na gravidez? Seu filho é desatento?  Ouve rádio, TV em volume alto?  Sua para falar? Troca letras? Seu filho tem dificuldade para entender ordens ou pede, com frequência, para repetir o que lhe foi dito? etc...  


Embora estes dados não sejam os suficientes para sabermos porque o bebê não está desenvolvendo a fala, permite aumentar nossa compreensão  da extensão do problema. E assim, persistindo algumas dúvidas sobre o desenvolvimento do seu filho, procure um especialista em ouvidos- um médico otorrinolaringologista, e/ ou um especialista em avaliação da fala e audição- um fonoaudiólogo.

E diante dos recursos já existentes hoje, como: acompanhamento médico, tratamento fonoaudiológico, uso de prótese, escolas que amparam tais dificuldades, quanto antes for diagnosticada e tratada a deficiência, é possível oferecer à criança condições favoráveis para desenvolver a fala e integrá-la num ambiente saudável e bem feliz.                                                                                                                                                                                  

Um comentário:

  1. Oi Jussara, muito bom seu post! Muito importante ficarmos atentas aos sinais que nossos filhos dão, principalmente se eles estão demorando a atingir aqueles marcos de desenvolvimento. E completando seu post, muitas vezes aquela criança que você chama, chama e não atende, ou muito quieto e quase não fala, poderá ter outro problema, como por exemplo, autismo, por isso é importante a busca pelo médico ao menor sinal de alteração!! Abraços

    www.biashaina.com.br

    ResponderExcluir

Olá seja bem vindo ao Blog obrigado por sua visita deixe o seu comentário e se tiveres alguma dúvida entre em contato com a gente beijos