11 novembro 2013

Psoríase quais os sintomas, causas e tratamento

 sintomas-causas-e-tratamento-de-Psoriase

Pelo nome, parece ser mais um complicado termo médico para designar alguma patologia raras sobre a Psoríase, mas não é. Trata-se de uma doença crônica de pele que é bastante comum. Segundo estimativas, cercas de duas pessoas em cada cem, no mundo inteiro, são afetadas. Nos Estados Unidos, surgem 155.000 novos casos a cada ano- o que representa um gasto em torno de 1 bilhão de dólares com tratamento.


O maior incômodo da psoríase não é o mal-estar físico, mas o aspecto externo das lesões, que causa angústia e desconforto emocional nos portadores. A pele apresenta placas avermelhadas, bem definidas, cobertas por escamações branco-acinzentadas, espessas e secas.


Leia Também


               Fotos de pessoas com Psoríase





Localiza-se, na maior parte dos casos, nos joelhos,cotovelos, região lombar e couro cabeludo, mas durante as fases agudas podem espalhar-se por todo o corpo. As lesões no couro cabeludo, soltam grandes quantidades de escamas brancos-acinzentadas, que parecem uma "Casca grossa".
sintomas-causas-e-tratamento-de-Psoriase


É possível que as unhas também sofrem modificações, perdendo o brilho e desenvolvendo fendas estriadas. A aparência e localização das placas são fatores que facilitam o diagnóstico da psoríase. Se houver dúvidas, o médico retira delicadamente uma amostra da pele escamosa e vermelha para exame microscópico. Veja agora alguns fatores que costumam intensificar a moléstia:


Ferimentos:

Machucados na pele (cortes,queimaduras e  até raspadas), às vezes, estimulam o surgimento de novas placas. O mesmo ocorre com queimaduras de sol, alergias de pele por contato ou incisões cirúrgicas.


Infecções:

Virais ou bacterianas, talvez desencadeiam crises. Até mesmo inflamações simples,como da garganta, podem provocar o mesmo efeito.


Drogas:

Para alguns pesquisadores, certas drogas ocasionalmente pioram a psoríase: lítio, usado no tratamento de disfunções mentais; beta-bloqueadores, empregados no controle de doenças cardiovasculares; e cloroquino, agente antimalárico, são alguns dos exemplos.


Ausência de luz do sol:

Psoríase geralmente se agrava durante o inverno, quando a luz do sol está mais fraca. As aplicações de luz ultravioleta melhoram os sintomas.


Stress:

Um terço dos pacientes relata uma correlação entre fadiga e ansiedade e as crises da doença. Mas ainda não existem evidências definitivas. Agora atenção para esta característica: "A psoríase aparece com mais frequência em homens. De cada quatro pacientes, três são do sexo masculino, independente de idade. Geralmente o distúrbio é diagnosticado entre 15 e 35 anos de idade".


Infelizmente, as causas da Psoríase permanecem obscuras; mas sabe-se que ela se liga a um desequilíbrio no mecanismo de renovação da epiderme- mais precisamente, a uma rápida multiplicação de suas células. A hereditariedade pode ser uma pista; muitos pacientes relatam a ocorrência na família. A renovação da pele na pessoa afetada é entre cinco e sete vezes mais rápida que o normal. O estado geral de saúde do paciente não se altera; raramente ocorre a chamada artrite psoriásica que ataca as articulações  dos dedos, dificultando ou mesmo impedindo os movimentos.


Ao contrário da artrite comum, a psoriásica evolui por surtos e passa longos períodos sem que a perturbação se manifeste no paciente.


Tratamento paliativo:

A psoríase caracteriza-se por apresentar períodos de crise e melhoria; ocorre até de a doença sumir sozinha. De outro lado, os tratamentos aliviam os sintomas e algumas vezes causam seu desaparecimento por largos períodos de tempo ( não há cura definitiva). Dada essa variedade, a atuação médica- em geral prolongada- adapta-se às necessidades individuais e, conforme o caso, envolve uma combinação de terapias existentes, que são as seguintes:


Remédio tópicos:

Medicamentos aplicados diretamente na pele, e na maioria dos casos controlam as crises.

Fototerapia:

A luz do sol ajuda a melhorar a pele afetada pela psoríase (ou luz ultravioleta artificial de ondas médias).

Drogas:

Certos remédios controlam a multiplicação de células epiteliais. Em média, o tratamento dura três a quatro semanas. Porém estas drogas podem causar danos no fígado e outros órgãos também sem contar nos efeitos colaterais, se o uso for muito prolongado.

Agora, um alerta final de amiga para vocês; " Nunca abandone o tratamento de manutenção, nas doses recomendadas. E siga as recomendações do profissional da área". No mais, lembre-se que a psoríase é uma doença benigna, não é contagiosa. Procure conviver com ela sem se estressar, sabendo que de tempo em tempos ela poderá voltar.

2 comentários:

  1. Eu sofro desse mal e realmente é muito angustiante,aprendi a conviver com isso mas ainda assim,as vezes desanima a gente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá querida Dineia é eu sei como é eu e minha filha sofremos de dermatite seboréica que é quase igual mas que também é bem difícil de controlar mas não desanima não e muito obrigado pela visita bjos

      Excluir

Olá seja bem vindo ao Blog obrigado por sua visita deixe o seu comentário e se tiveres alguma dúvida entre em contato com a gente beijos